sábado, 8 de março de 2014

Mulheres, leiam este livro

up - publicado originalmente em 15/10/2010



Homens que odeiam suas mulheres e as mulheres que os amam
Susan Forward e Joan Torres, Editora Rocco 

"O homem que você ama insiste em controlar sua vida e suas ações? Intimida-a com gritos ou silêncios irados? Desvaloriza suas opiniões, seus sentimentos ou suas realizações? É imprevisível e passa subitamente do maior charme à raiva incontida? É extremamente ciumento e possessivo? Acusa-a constantemente de tudo o que há de errado no relacionamento entre vocês?

Se respondeu sim a todas essas perguntas, está apaixonada por um homem que definitivamente odeia mulheres. Não pense duas vezes. Aceite de imediato a ajuda inestimável que este livro pode lhe dar. Ainda há tempo de aprender a gostar de si mesma e do homem certo." (texto da capa)

O livro fala sobre uma doença, misoginia. O misógino odeia mulheres  apesar de fingir amá-las (diferente de machismo ou homossexualismo). Há muitas histórias verdadeiras no livro e a própria autora foi vítima de um homem com misoginia.

Ainda não sei direito porque esse assunto veio parar em minhas mãos, pois, pela misericórdia do Eterno, não tenho esse problema (apesar de lembrar de pelo menos três misóginos que tentaram me prender em suas garras). Mas estou sentindo dores nas entranhas com a leitura desse livro. Estou em estado de choque. E sinto que preciso divulgar o assunto, alertar às mulheres que podem estar passando por isso e principalmente alertar nossas meninas, para que não caiam nas mãos de homens assim.

Conheço alguns, melhor, vários misóginos, mas não sabia o nome do problema deles. Por causa de uma amiga que está passando por problemas com o marido, uma outra amiga me apresentou ao livro e ao nome da doença. E mergulhei na leitura e na pesquisa. 

O objetivo do misógino é apagar o brilho da mulher, é anular sua atuação, é podá-la e aprisioná-la. Com intimidações sutis ou violentas, vai fazendo com que a mulher abandone suas atividades profissionais ou acadêmicas, afastando-a dos amigos e dos familiares. E os dois resultados mais comuns são: a mulher entra em uma profunda depressão crôncia, a ponto de ficar em casa com a mesma camisola por semanas, ou dá o grito de liberdade e abandona o marido. Pouquíssimo provável é o homem reconhecer que tem problema e procurar ajuda, infelizmente.

As pessoas envolvidas nesse quadro patológico disfarçam, fingem ter uma vida saudável, sofrem silenciosamente. Podemos conviver com várias pessoas assim e não perceber. Mas precisamos ajudar, fazer alguma coisa.

Mesmo que não seja para você, mas pode ser para uma amiga, uma mulher da sua família. Leia e divulgue esse assunto. É muito grave e muito mais comum do que pensamos.

Qualquer semelhança com espírito de manipulação e controle, que quer calar a voz profética, não é mera coincidência.

Características do misógino
  • Têm pouca capacidade de sentir culpa, remorso ou ansiedade.
  • Seu comportamento destrutivo não é generalizado, como acontece com o sociopata, mas é bastante dirigido. Infelizmente é dirigido quase exclusivamente à parceira.
  • Usa palavras e variações do temperamento como armas.
  • Faz tudo que pode para destruir a mulher que diz amar tão profundamente.
  • Pode ficar furioso praticamente sem razão.
  • Explode por causa dos casos mais insignificantes.
  • Exagera, amplia, cria tempestades em copo d'água.
  • Tem pressa em prender a mulher, por isso costuma propor casamento logo no início do relacionamento.
  • Seu alvo preferido são mulheres que estudam ou trabalham e têm um perfil de liderança, são bem-sucedidas. 
  • Exige que a mulher reduza seu mundo, a fim de que seja mantida a paz entre os dois.
Alguns trechos do livro:

Teste para saber se tem relacionamento com um misógino:
  • Ele assume o direito de controlar como você vive e se comporta?
  • Você renunciou a atividades ou pessoas importantes em sua vida para mantê-lo feliz?
  • Ele menospreza suas opiniões, sentimentos e realizações?
  • Ele grita, ameaça ou se retira em um silêncio furioso quando você o desagrada?
  • Você 'pisa em ovos', ensaiando o que dirá, a fim de não irritá-lo?
  • Ele a deixa atordoada ao passar do charme para a raiva de forma inesperada?
  • Você se sente com frequência confusa, inadequada ou desequilibrada com ele?
  • Ele é extremamente possessivo e ciumento?
  • Ele a culpa por tudo que está errado no relacionamento?
"As primeiras indicações do temperamento explosivo do misógino são esporádicas. As explosões não se tornam um modo de vida até haver alguma espécie de compromisso. Pode ser um compromisso verbal, a decisão de morarem juntos, noivado ou casamento. A partir do momento em que ele tem certeza de que 'possui' a mulher, a situação muda depressa."

"No fim da lua-de-mel, quando pela primeira vez faz alguma coisa para atacar o amor-próprio da parceira, o misógino está sondando o terreno. Se não encontra qualquer resistência a essa afronta inicial, é porque a mulher lhe está dando, sem perceber, a permissão para que esse comportamento se desenvolva."
[Isso me fez lembrar da horrível história que ouvi desde criança, do marido que mata o galo na primeira noite da lua-de-mel, para garantir que a mulher vai obedecê-lo, com medo de que ele faça com ela o mesmo que fez com o galo. Pior é que ouvi essa história em muitos púlpitos, incentivando a violência doméstica. Triste.]

"Na agressão física, as armas são os punhos; na agressão psicológica, as armas são as palavras. A única diferença entre as duas é a escolha das armas."

"O misógino possui um extenso repertório de táticas para assustar: insultos, comentários desdenhosos e outros comportamentos intimidativos, destinados a fazer com que a parceira se sinta inadequada e desamparada. Os ataques mais óbvios incluem gritos, ameaças, acessos de raiva, insultos e críticas constantes. Os ataques são direto, sem qualquer disfarce. São agressivos."

"Eu costumava suplicar que não me fizesse aquelas coisas. Ficava apavorada. Ele disse que só ficava assim porque se preocupava demais comigo. Era apenas porque me amava muito. Mas, cerca de uma semana depois do incidente em que cortou meu chapéu novo, cozinhei demais um rosbife, e Nate quebrou todas as janelas da cozinha." Depoimento de uma cliente da autora

"Como você pode saber se a opressão psicológica vai passar à opressão física?

O ciúme e a possessividade exagerados sempre prenunciam o perigo. Se você está sujeita a constantes acusações, vigilância permanente, espionagem, interrogatórios ou reações exageradas a infrações menores, como chegar atrasada – tome cuidado. Se conversar com outro homem numa festa e seu parceiro reagir exageradamente com raiva, desproporcional ao caso, tome cuidado. Esse tipo de suspeita é um sinal de que existe a possibilidade de violência física. 

Ameaças de violência, mesmo que a violência nunca tenha ocorrido antes, devem sempre ser levadas a sério. Planos de desforra e de vingança e tentativas de controlá-la através de ameaças de força bruta são um sinal evidente de que você precisa de um plano de fuga. Por mais difícil que seja admitir que a violência pode ocorrer, é essencial que você providencie alguns recursos básicos, incluindo:
  • algum dinheiro disponível
  • um lugar seguro para ir com seus filhos
  • uma maneira de chegar lá a qualquer momento
É de se esperar que você tenha família ou amigos a que possa procurar em busca de apoio. Mas quaisquer que sejam os recursos, todos os especialistas na área concordam num ponto: se houver violência física, vá embora, mesmo que isso implique em deixar uma linda casa e ir para um abrigo de mulheres espancadas."

Para saber mais:
Ele te ama e depois te “maltrata”!? Ele pode ser um misógino!
ARMAS QUE UM MISÓGINO TEM PARA OPRIMIR SUAS PARCEIRAS

2 comentários:

Anônimo disse...

Muito obrigada pelos textos, o blog tem me ajudado muito! Parabéns por ser esta pessoa incrivel!

l o u r a disse...

Que coincidência! Passei por isso faz pouquíssimo tempo. Este tipo de homem busca sempre mulheres bonitas, inteligentes e independentes. Como se sentem inseguros diante delas, começam a minar sua auto-estima até que elas pensem que o problema está com elas. Mas não! Eles nem mesmo conseguem amar suas famílias, nem se amam.. como amar então uma mulher?! Dica minha: ficar de olho SEMPRE em COMO ele trata a mãe ou as mulheres da familia dele. Se ele um dia diz que você é a mulher perfeita e no outro te enche de defeitos, certamente você está diante de um cretino desses.

Deixa eu contar alguns fatos que aconteciam comigo:
- Tudo o que dava errado no relacionamento era minha culpa, então eu mudava algumas atitudes que ele achava ruins (submissão) e mesmo assim ele encontrava novos defeitos;
- Ele negava sexo para me punir quando eu não fazia alguma das vontades dele;
- Ele me agredia demais com palavras e eu vivia pisando em ovos para que ele não se exaltasse, nem gritasse ou me ofendesse;
- Temia que um dia pudesse apanhar dele porque ele disse que uma vez viu seu pai colocar uma arma na cabeça da mãe dele (o pai tb é um misógino);
- Me isolava dos meus amigos e família, nunca eram bons o suficiente pra ele, odiava cada um, minhas amigas não eram boas companhias, etc.
- No dia que mostrei uma classificação em um concurso ele ficou pasmo, decepcionado e disse assim "agora vc não precisa mais de mim, poderás ter tudo o que tenho" (como se um dia dependi ou precisei financeiramente dele).

Então este tipo de homem é o mais destrutivo, acaba com a nossa auto-estima, são egoístas, NUNCA amaram nem NUNCA amarão ninguém, são frios e calculistas, prendem a mulher por dependência emocional, detonam com a vida delas. Ah, e deveriam sofrer um processo judicial!